Zumbido no ouvido tem tratamento, sim!

Dra.-Vanessa-Fonseca-Gardini1
Dra. Vanessa Fonseca Gardini

Todo mundo, pelo menos uma vez na vida, já sentiu algum tipo de zumbido no ouvido, seja ele ocasionado pela exposição continuada a um som muito alto, como em uma casa de shows ou, ainda, após observar uma queima de fogos de artifício. Zumbido é a sensação de um ruído indesejado, em um ou nos dois ouvidos, sem que haja um som externo. No entanto, o que é para ser um incômodo temporário, para 28 milhões de brasileiros e 24% da população mundial, segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), é algo presente 24 horas, por dia, todos os dias, que pode levar à dificuldade de escutar, concentrar-se, dormir, ler, se relacionar e, até mesmo, de trabalhar. A boa notícia, porém, é que, apesar de muitos ainda desconheceram, o zumbido tem, sim, tratamento e solução! A fonoaudióloga responsável do Centro Auditivo Pró-ouvir Siemens, em Sorocaba (SP), Dra. Vanessa Gardini, conta que, lamentavelmente, muitas vezes, o paciente chega ao consultório com a informação equivocada de que o zumbido não tem tratamento. “As pessoas chegam desiludidas, muitas vezes, com quadros graves de depressão .”

De onde vem o zumbido?

Zumbido, ou tinnitus, em Inglês, vem da palavra em Latim “tinnire”, que significa tocar ou soar. O incômodo pode afetar pessoas de qualquer idade, assim como um ou os dois ouvidos. De acordo com a fonoaudióloga, as vias auditivas captam a vibração dos sons gerados no ambiente e os enviam, como impulsos elétricos, ao cérebro. O problema acontece quando essas vias começam a mandar esses impulsos ao cérebro, sem que haja um som externo sendo gerado. “Embora possa ser percebido o dia todo, o zumbido é mais notado em momentos de silêncio, como na hora do sono, e pode ser parecido com um apito, chiado, cigarra, grilo, abelha, cachoeira, panela de pressão, entre tantos outros descritos”, explica.

zumbido_sim

Sentindo na pele

O aposentado Adílson Barroso, de 65 anos, conta que, há 40, sofre com zumbido no ouvido. Ele conta que o ruído iniciou-se após fazer, equivocadamente, uma lavagem no ouvido em uma farmácia perto de onde morava e, com o passar dos anos, o sintoma foi aumentando, gradativamente. “O barulho apareceu de repente. Na época, sem informação, voltei à farmácia onde tinha sido feita a lavagem e o farmacêutico me disse que o barulho passaria dentro de algumas horas. Doce ilusão”, reclama. Adílson revela que chegou a ficar depressivo, por conta do barulho que passou a ouvir por décadas, sem interrupção. “Eu levantava atordoado, de madrugada, e precisava usar medicamentos para dormir. Passei todos esses anos tentando buscar uma solução. Fui a vários especialistas, fiz ressonância magnética, diversos exames e nunca encontrei alívio”, lamenta.

Felizmente, a história do aposentado começou a mudar há seis meses, quando, orientado por um médico otorrinolaringologista, procurou um centro auditivo especializado e, após realizar os exames necessários, passou a usar um aparelho específico para o tratamento de zumbido. Esse aparelho auditivo, explica Dra. Vanessa, produz sons confortáveis, que vão "neutralizar" o zumbido. “Assim, o cérebro pode ser treinado a se concentrar em sons externos de novo e não focar mais no zumbido”.

Cada vez menores e mais discretos, existem aparelhos auditivos específicos para o tratamento do zumbido, assim como para os casos de perda auditiva associada, da Siemens Audiologia. Adílson relata que, ao usar um aparelho auditivo, sentiu grande alívio e espera que, finalmente, possa esquecer o zumbido que o acompanhou por mais da metade de sua vida. “Achei que meu problema jamais teria solução. Ainda bem que estava errado”, desabafa.

Programa de suporte ao tratamento de zumbido

A fonoaudióloga Dra. Vanessa explica que o programa de suporte ao tratamento de zumbido é uma terapia sonora oferecida, exclusivamente, pelas revendas certificadas de aparelhos auditivos Siemens. O objetivo do tratamento é melhorar a reação do paciente em relação aos sintomas do zumbido. “Qualquer pessoa que tenha zumbido, com ou sem perda auditiva associada, e apresente reação negativa ao sintoma pode beneficiar-se da terapia”. As atividades do programa foram desenvolvidas com base no protocolo Tinnitus Activities Treatment, desenvolvido pelo Dr. Richard Tyler, da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos. De acordo com a fonoaudióloga, os procedimentos incluem várias etapas, que vão da identificação da causa do problema junto a um médico otorrinolaringologista, passando pela avaliação auditiva do paciente pelo fonoaudiólogo até a escolha do tratamento mais adequado, que inclui o uso de aparelhos auditivos ou de geradores de som portáteis ou, ainda, a utilização dos dois. “Cada caso precisa ser muito bem avaliado. A partir desta investigação, será identificado e recomendado o tratamento mais indicado”. Como representante certificado, o Centro Auditivo Pró-Ouvir Siemens disponibiliza assistência permanente de regulagens e ajustes dos aparelhos.

 

Gostou deste artigo? Agende agora sua avaliação gratuita! Clique aqui ou na imagem abaixo para melhorar sua qualidade de vida.

Imagem4

 

 

 

 


Comentários (0)


Deixe um comentário