Perda Auditiva

Quase 10 milhões de brasileiros possuem deficiência auditiva

Normalmente, a perda auditiva inicia-se de maneira lenta e gradual, de modo que a pessoa não percebe facilmente que está com perda auditiva. Parentes, amigos ou colegas são geralmente os primeiros a notarem que há algo de errado.

Quando o assunto é saúde auditiva, é comum ouvir comentários como este: “fiz um exame há algum tempo, que acusou uma perda auditiva leve, mas, como não me atrapalha muito, não fui ainda em busca de tratamento”. Ou então comentários como: “Eu não tenho perda auditiva, só tenho dificuldade para entender as pessoas em algumas situações”.

Quando, afinal, é preciso usar aparelho auditivo?

De acordo com a fonoaudióloga Vanessa Gardini, por exemplo. “É comum as pessoas deixarem para procurar ajuda quando o problema piora. Mas a própria negligência é uma maneira de agravar o quadro”, pontua.

Então saiba os sintomas de perda auditiva mais comuns. Aqui listamos os principais sinais de alerta que irão ajudá-lo a determinar qual tipo de perda auditiva é apresentada.

Como diagnosticar a perda auditiva

Segundo a especialista, mesmo quando a perda auditiva aparentemente não incomoda, a indicação para a utilização do dispositivo deve ser feita com base nos exames de diagnóstico. Após o paciente identificar os sintomas de perda auditiva, o exame de audiometria feita pelos fonoaudiólogos da Pró- ouvir é essencial para verificar se você possui de fato perda auditiva. “A audiometria é fundamental para descobrir a intensidade e em quais frequências a perda ocorre. Com estas informações em mãos, o fonoaudiólogo consegue entender o que está acontecendo de errado com a audição”, explica a especialista. “Alguns tipos de perda auditiva são temporárias, como as causadas durante infecções. Desta forma, com o tratamento do problema, a perda costuma ser revertida, dispensando a necessidade de usar os dispositivos amplificadores. Contudo, quando a deficiência é irreversível, como as causadas pelo avanço da idade, exposição excessiva a ruídos elevados, acidentes e infecções tratadas inadequadamente, aí, sim, é indicada a reabilitação com aparelhos”, afirma. A especialista enfatiza que a falta de cuidados com a audição é o principal fator que leva à necessidade de utilizar aparelhos auditivos. “Mesmo com todos os transtornos causados pela perda auditiva não tratada, não é muito comum que as pessoas busquem espontaneamente o fonoaudiólogo para exames preventivos. Por isso, é preciso se conscientizar e ficar atento aos sinais de possíveis alterações na audição.”

Principais sintomas da deficiência auditiva

A lista abaixo ajudará você a identificar se possui sintomas de deficiência auditiva.

  • As pessoas aparentam murmurar com mais frequência;
  • Você ouve, mas tem problemas em entender;
  • Por vezes você pede para que as pessoas repitam o que disseram;
  • Conversas ao telefone são mais difíceis;
  • Você não consegue ouvir sons cotidianos como a torneira pingando ou o tic- tac do relógio;
  • É difícil ouvir sem observar o rosto de quem fala;
  • Você é avisado que fala muito alto;
  • As pessoas dizem que você ouve rádio e TV muito alto;
  • Há algo soando ou zumbindo em seu ouvido;
  • Conversas são difíceis em um grupo muito grande;
  • Você tem problemas de acompanhar conversas com mais de duas pessoas;
  • Você sente dificuldades para ouvir em lugares muito cheios como restaurantes e shoppings;

Concorda com algum dos itens da lista, é possível que tenha perda auditiva.

Se você possui perda auditiva, é importante saber que você não está sozinho. Isso porque você é um entre 500 milhões de pessoas que possuem perda auditiva no mundo. Por exemplo, na maioria dos países, uma a cada seis pessoas possui algum grau de perda auditiva. Mas fique tranquilo, pois em 90% dos casos, um aparelho auditivo bem adaptado pode melhorar a comunicação das pessoas com perda auditiva. Esteja certo de que existe uma solução.

Fontes: http://www.siemens.com.br/audiologia

Principais causas da perda auditiva

As causas da perda auditiva podem ser originadas por diversos fatores. A perda auditiva é a incapacidade parcial ou total de perceber um som em uma ou ambas as orelhas. Algumas pessoas nascem com deficiência auditiva, mas outras podem vir a desenvolvê-la gradualmente durante a vida, em muitos casos, sem que a pessoa perceba. Então, veja quais são as principais causas de perda auditiva:

  • Cera
  • Infecções (otites)
  • Traumatismo
  • Hereditariedade
  • Medicamentos (quimioterapia)
  • Radioterapia
  • Produtos químicos (solventes, tintas, combustíveis)
  • Exposição à ruídos altos (sons acima de 85dB)
  • Envelhecimento
  • Doenças (diabetes, hipertensão)
  • Doenças virais (caxumba, sarampo, rubéola)
Só 10% dos casos de perda auditiva podem ser tratados com cirurgia ou medicamentos.
Graus da perda auditiva
Tabela Perda auditiva.
Como funciona a audição:

A orelha é um fantástico orgão que executa a maravilhosa e complexa função da audição. Ela pode distinguir entre 7.000 diferentes sinais e permite que o cérebro localize as fontes sonoras. A orelha humana é dividida em três partes – a externa, média, e a orelha interna.


Orelha externa: A orelha externa capta o som e transmite para o tímpano pelo canal auditivo.


Orelha média: As ondas sonoras fazem o tímpano vibrarem. Os ossículos, chamados de martelo, bigorna e estribo, passam a vibração para a orelha interna.


Orelha interna: A cóclea converte os movimentos dos ossículos em sinais elétricos. O nervo auditivo transmite os sinais para o cérebro.


Qual a Importância da audição?

“Quando se perde a audição, se perde o contato com as pessoas”.

  • Comunicação.
  • Em vários estudos é um fator protetivo contra declínio cognitivo e demências.
  • Convívio social.
  • Atuando como alerta em tempo integral.
  • Independência.
  • Equilíbrio.

Quanto mais tempo se passa com perda auditiva, maiores são os prejuízos para o cérebro.

“O cérebro esquece como é escutar.”
Qual modelo de aparelho devo escolher?

Atualmente existem inúmeras opções de aparelhos auditivos, cada vez mais personalizados e com diferentes recursos e modelos capazes de melhorar o seu dia a dia sem interferir no seu estilo de vida.

O formato ou estilo de aparelho é determinado de acordo com o grau (nível) de perda que você apresenta e as suas dificuldades e necessidades.

Essa ampla avaliação é realizada somente por um fonoaudiólogo especialista da Pró- ouvir, habilitado e treinado especialmente para identificar qual estilo é o mais adequado à sua perda e às suas necessidades e fazer assim, a reabilitação auditiva correta.

Tome uma atitude agora

Apenas quando a audição começa a se deteriorar notavelmente que percebemos o quanto é importante o uso de aparelhos auditivos nas nossas vidas e como nós sentimos falta quando não conseguimos mais ouvir bem.

Por que tomar uma atitude o quanto antes?

Perda auditiva é um processo gradual

Perda auditiva é geralmente um processo gradual que leva muitos anos – tão gradual que nós não identificamos imediatamente os efeitos negativos nas nossas vidas.

A perda auditiva não tratada impacta em nossas vidas

Problemas de comunicação com a família, amigos e colegas podem acarretar em irritabilidade, estresse, isolamento e também depressão.

Quanto mais cedo, melhor

Quanto mais cedo os aparelhos auditivos forem adaptados, melhor, mesmo que você apenas tenha uma perda auditiva extremamente leve.

Treine seu cérebro

Quando você volta a ouvir bem com os aparelhos auditivos, o cérebro é estimulado e a vitalidade mental é mantida.

Aproveite mais a vida

A qualidade de vida é aumentada, resultando em uma comunicação interpessoal e interação social sem restrições.

Voltar a ouvir bem novamente trás muitos efeitos positivos, Estudos mostram que a grande maioria dos usuários de aparelhos auditivos estão muito ou extremamente satisfeitos com seus aparelhos. Usuários mais experientes dizem que seus contatos sociais, assim como o físico e mental tem melhorado significativamente. Eles se sentem adaptados e muito mais preparados para enfrentarem novos desafios.

Esteja aberto a novas experiências auditivas. Isso irá melhorar sua qualidade de vida.

Tome uma atitude agora e agende uma consulta gratuita

Quero agendar minha avaliação gratuita.
AGORA!
Nós entramos em contato