Confira 5 fatores que podem acelerar a perda de audição

Assim como o restante do corpo, o ouvido também envelhece e, a partir dos 50 anos, as células auditivas começam a morrer. Esse processo normal não causa perda total da audição, a não ser que esteja associado a outras doenças. Mas, problemas de saúde, como diabetes e pressão alta, podem acelerar a perda auditiva.

                                                                  

De acordo com a fonoaudióloga especialista Dra. Vanessa Gardini, responsável da Pró-Ouvir Aparelhos Auditivos, de Sorocaba (SP), a hereditariedade e a exposição continuada a ruídos elevados são os principais fatores que contribuem para a perda de audição ao longo do tempo.

Confira 5 fatores que podem acelerar o processo:

1- Uso de substâncias tóxicas aos ouvidos - Alguns medicamentos, incluindo antibióticos, podem danificar células do ouvido interno. Alguns exemplos incluem quinino, aminoglicosídeos, diuréticos e agentes da quimioterapia.

2- Infecções - Infecções auditivas, como a otite média, caracterizada pelo acúmulo de fluidos no ouvido médio, podem provocar perda auditiva. Alergias, gripes e inflamações também podem prejudicar a audição.

3- Tabagismo - A perda auditiva causada pelo cigarro acontece por consequência da diminuição do fluxo sanguíneo na cóclea (órgão responsável por transmitir o som para o cérebro), no interior do ouvido. As substâncias químicas do cigarro atrapalham a oxigenação e é justamente a ausência do oxigênio que influencia na perda da audição, causando prejuízos irreversíveis nas células do ouvido.

4- Diabetes e hipertensão – O diabetes e a hipertensão podem atingir qualquer vaso sanguíneo do corpo. As artérias que ligam o ouvido interno são mais finas, ficando mais expostas ao problema e, com o agravamento dessas doenças, isso pode levar à perda da audição.

5- Ruídos - Vivemos em um mundo com inúmeros ruídos, existentes nos mais diversos ambientes, tais como: barulhos de motores e máquinas, músicas altas, buzinas, sirenes e muitos outros. O uso prolongado do fone de ouvido, principalmente do modelo intra-auricular, também pode danificar permanentemente a audição. A recomendação é evitar a exposição a sons altos, sendo que o som não deve ultrapassar 70 decibéis. Acima de 85 decibéis, o ruído já se torna uma ameaça à saúde e pode começar a comprometer a audição.

Prevenção

Segundo Dra. Vanessa, o principal tratamento contra a surdez é a prevenção. É fundamental cuidar da saúde auditiva e agir preventivamente às doenças, adotando hábitos saudáveis de vida, praticando atividades físicas regularmente e tomando cuidado com sons altos. “Quanto mais pudermos evitar a exposição desnecessária a sons muito elevados, melhor para nossos ouvidos”, explica.

 

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (15) 3231-6776 ou pelo site: www.proouvir.com.br .

Fonte: Assessoria de Imprensa

 

Imagem4


Comentários (0)


Deixe um comentário